César descobre traição de Aline em Amor à vida

César descobre traição de Aline em Amor à vida

Aline será descoberta por César, já era hora né? Em Amor à vida, César vai descobrir que Aline e Ninho são amantes e então ameaça matá-la: “Eu vou te matar, Aline”.

Tudo isso só vai acontecer graças ao ex- vilão Félix. A situação começa a se desencadear após Paloma conversar com Pérsio e constatar que a história que Aline contou sobre Rebeca ter viajado com o namorado era mentira. Muito preocupado, o médico questiona o que pode ter acontecido com a amada. “Não sei, mas já estou começando a ter ideias malucas. E se por algum motivo a Aline prendeu a Rebeca? Eu vou voltar na casa do meu tio e vou exigir falar com a Rebeca. Quero vasculhar a casa toda, descobrir onde ela tá”.

Mas antes, Paloma tenta conseguir uma ordem judicial para vasculhar a casa do pai. Ela procura Assis, delegado amigo de César, que resolve ligar para o médico, para saber se há algo estranho no local. “Eu estou ótimo. A Paloma é que vive em guerra contra a minha mulher, Assis. Depois que eu casei, eu fiquei cego. Ah, a Paloma já contou… Eu, a Aline e o Juninho moramos naquela casa onde nos casamos, mas agora até decidimos voltar pra cidade…  Assis, você conheceu a Aline, ela é maravilhosa, tem se desdobrado pra cuidar de mim e do bebê. Como é que é? A doutora Rebeca?”, questiona o médico.

Aline se assusta nesse momento e César responde: “Ela foi embora com um rapaz, mas em quem a gente pode confiar hoje em dia? Está tudo certo, Assis, mas me faça um favor. Não caia mais nas histórias da Paloma. O quê? Uma busca na minha casa? Se aparecer alguém aqui, pra dar uma busca, eu expulso a bengaladas, ainda sou homem pra isso. Está bem, claro que qualquer problema eu te ligo, um abraço”, responde César.

Paloma e Pérsio então resolvem pedir ajuda a Félix. Ele e o primo vão ao antigo galpão onde Ninho morava e constatam que não há mais ninguém lá. Então, vão à casa de César. Lá, Aline os recebe com quatro pedras na mão. “Só vim acompanhar o meu primo Pérsio. Ele tá procurando a namorada. Mas não foi você que disse que a Rebeca foi embora com ele? Aline, não estou entendendo… Se ela foi embora com o Pérsio, como é que ele tá procurando por ela?”, pressiona Félix.

Aline fica nervosa com a saia justa, ainda mais quando César também a indaga: “Realmente. Aline, você disse que a Rebeca foi embora com o namorado… se o namorado é o Pérsio, você mentiu. O que aconteceu com a Rebeca?”. Mas Aline, como sempre mente: “Eu estou confusa também. Quando ela falou que ia embora com o namorado, eu achei que era o Pérsio. Mas eu não vi o rapaz, quando ele veio buscar ela. Foi tudo tão rápido. Ela se despediu, me deu um beijo, deixou outro pra você, e entrou no carro. Mas o namorado dela não saiu do carro”. César então começa a rir e diz que o sobrinho foi traído. “Vocês estavam em crise. Ela veio pra cá, antes de resolver totalmente a crise. Então alguém a procurou, talvez através de um telefonema, alguém do passado… e voltaram a se encontrar. Eu lembro que a Rebeca tinha saído à noite e, segundo a Aline, voltou tarde”, diz César.

Enquanto isso, Félix resolve pegar um copo d’água, o que deixa Aline tensa. “Sai daí, cê quer bisbilhotar essa casa. Sai. Se quiser um copo d’água, pega. Aqui na geladeira”. Nisso, Félix corre para os fundos, empurra Aline, que cai no chão, e vê que tem dois quartos lá atrás. Só que César aparece e lhe dá uma bengalada nas costas. “Eu sabia, eu sabia que você vinha atormentar a Aline! Eu sabia que vinha se meter na nossa vida! Desapareça, Félix! Nunca mais ouse tocar na minha mulher. Fique sabendo. Da minha mulher, cuido eu!, grita o médico.

Ao deixar a casa, Félix nota que o primo acreditou na história da traição e o manda ligar para Rebeca. “Liga e você vai descobrir que ela vai contar uma história igualzinha a que a Aline contou. Sabe, eu acho que vai combinar perfeitamente. Liga, criatura!”. Pérsio faz e confirma o que Félix havia falado: Rebeca conta a mesma história.

Félix acha a história certinha demais e está cada vez mais convencido de que há uma coisa muito errada ali. “Você viu como ela ficou brava quando eu quis ir lá no fundo? E a casa? Tá imunda, tem sujeira até nas paredes. O meu pai não reclama porque não enxerga. E o bebê? Ela nem liga pro bebê!”, percebe ele, que afirma ao primo: “Eu preciso tirar o meu pai das mãos dessa mulherzinha. O único jeito é fazer o meu pai enxergar. Mesmo assim cego, ele pode enxergar”.

Félix tem um plano: “Os ouvidos do papi soberano tão afiadíssimos. Pelo som da voz, ele sabe onde a gente tá.  Ainda bem que aquela bengala não machuca muito, senão a minha pele de pêssego taria toda roxa. Mas enfim, tudo tá muito certinho, tudo se encaixa muito bem. Mas tem uma coisa que eu descobri hoje. Quando você vai lá, Paloma, qual a primeira frase que a Aline sempre fala? Ouvi vocês chegarem. É isso que ela diz: ouvi quando vocês chegaram. Bingo!”, diz.

Bruno percebe aonde Félix quer chegar. “A gente tem que chegar lá sem fazer o menor ruído. Vamos lá amanhã, quando ela menos tiver esperando. Só assim a gente pega a Aline de surpresa”, afirma Félix. “Ela só pode estar lá naquele fim de mundo, com o papai cego, porque quer esconder algo. Ou alguém. Pra mim é um amante. O Ninho viria a calhar. Bonitão, desmiolado, fácil de manipular.”

Félix liga para Ninho e marca um encontro. Ele fica ressabiado, mas Aline dá força para ele ir. “O Félix também é esperto. Quer te encontrar, pra ver se descobre alguma coisa. Se você não aparecer, aí sim ele vai achar que cê tá escondendo alguma coisa. Vai ver o Félix, diz que cê tá pra voltar pro Peru. É melhor”;

Durante a conversa Félix repara as unhas sujas de terra de Ninho e tenta cercá-lo. “Eu pensei que cê ainda morava no galpão. Passei lá, mas não tinha ninguém”. Ninho diz que o amigo foi embora de lá e aquilo ficou abandonado. E que agora, está morando com outros amigos, num lugar meio longe. Quando Félix pergunta onde é, Ninho disfarça. “Você não conhece as minhas paradas, Félix. Deixa quieto. Ah, eu tou indo embora pro Peru. Foi bom você ligar. É a nossa despedida”.

Ao chegar em casa, Ninho conta que Félix só queria jogar conversa mole. César ouve vozes, e pergunta com quem está falando e ela mente que é com o jardineiro. Ninho aproveita para beijá-la no pescoço e César sente a presença do rapaz. Só que a vilã continua a afirmar que é o funcionário no jardim. Ela, então, entra para preparar o suco do marido.

Preocupada, Aline diz a Ninho que eles vão embora naquela madrugada. “O César está desconfiado, eu percebo que ele sabe que tem coisa errada, só que ainda não formou o que é. Eu fico aliviada de resolver tudo hoje de noite. A gente enterra a Rebeca e mata o César”.

Enquanto isso, Félix diz a Pérsio e a Bruno que almoçou com Ninho e que suas suspeitas foram confirmadas. “Eu perguntava, ele desviava, perguntava, desviava, e as unhas dele tavam sujas de terra. Se alguma coisa vai acontecer, vai ser logo. Temos que ir pra lá agora”.

Eles chegam ao condomínio de Aline e deixam os carros em outra rua, seguindo a pé para dentro da propriedade. César está sentado tomando suco. Aline sentada no colo de Ninho, o beijando. Félix, Bruno e Pérsio chegam. Aline se assusta. César quer saber o que o filho está fazendo lá de novo. “Eu vim te buscar, pai. A Aline tá sentada no colo do Ninho, na sua frente, aos beijos com ele”.

“César…é mentira. É mentira!”, afirma Aline, e César diz que acredita na mulher. “É mais uma mentira do Félix, não é meu amor?”.  ”Claro, César, é mais uma mentira”, confirma.

Só que César, agarra Aline pelo pulso com a mão esquerda. “Te achei”, fala César, que tira a faquinha com a mão direita do bolso. Ninho, tenso, grita. “Cuidado, Aline!”.

César, então, tem a certeza que queria:“Ah, você falou, canalha. Finalmente”, diz o doutor. O médico puxa Aline para si. Não põe a faca no pescoço, só aproxima dela com a insegurança de um cego. “Me larga, César”, ordena a mulher. Com a faca erguida, o médico brada: “Eu vou te matar, Aline! Eu desconfiava há muito tempo. Eu só queria ter a certeza pra te matar”, diz, cheio de ódio.

Já era hora de César descobrir toda a farsa de Aline não é mesmo? Quem curtiu muito tudo isso?

Fonte: Extra globo

Mais sobre a novela

Comentários:
  • Tony

    Eu também gostaria que isso acontecesse!

  • Tony

    César velho babão, além de cego, corno e burro; perdeu muito tempo acreditando nas conversinhas da vaca da Aline. Ele tem mais é que se ferrar no final também, abandonou a família pra viver uma aventura com uma secretária de quinta categoria.

  • karina

    Na verdade eu preferia q o César fingisse q beberia os sucos e vouta a encherga devagarinho ,só pra ver as coisas que aquela vaca estava fazendo com os próprios olhos ,mais mesmo assim o final ta ótimo !!

  • Ceiça Carvalho

    bem feito p Aline. Quem planta, colhe!

  • fernando

    a aline tinha q morrer de uma forma bem vingadora e trágica.

Guia de Novelas: